Missa em memória a Santo Inácio de Loyola

Exemple

No próximo dia 31 será a festa litúrgica do santo fundador da Companhia de Jesus: Santo Inácio de Loyola!

 

Iñigo Lopez de Loyola – nome de batismo de Inácio de Loyola – nasceu numa família cristã, nobre e muito rica, no Castelo de Loyola, na cidade de Azpeitia, na Espanha, no ano de 1491. O mais novo de treze filhos, foi educado, com todo cuidado, para tornar-se um perfeito nobre. Cresceu apreciando os luxos da corte, praticando esportes, principalmente os equestres, seus preferidos.

Em 1506, sua família estava a serviço de João Velásquez de Cuellar, tesoureiro do reino de Castela, do qual era aparentada. No ano seguinte, Iñigo tornou-se pajem e cortesão no castelo desse senhor. Lá, aprimorou sua cultura, tornou-se excelente cavaleiro e tomou gosto pelas aventuras militares.
Dez anos depois, em 1517, optou pela carreira militar. Por isso foi prestar serviços a outro parente, não menos importante, o duque de Najera e vice-rei de Navarra, o qual defendeu em várias batalhas, militares e diplomáticas.

Mas, em 20 de maio de 1521, uma bala de canhão mudou sua vida. Ferido por ela na tíbia da perna esquerda, durante a defesa da cidade de Pamplona, ficou durante meses em convalescença no castelo de sua família. Nesse tempo, não havendo romances de cavalaria para se entreter, sua cunhada Madalena deu-lhe para ler livros que eram dela, A Vida de Cristo, escrita por Ludolfo de Saxônia, e a Legenda Áurea, livro sobre a vida dos santos, narrada por Jacopo Varazze.

A princípio, Iñigo leu-os com antipatia, deixando-os de lado para sonhar sobre seu futuro. Depois, cansado de sonhar, retomava a leitura dos livros que lhe foram causando impressão cada vez mais profunda. Reparou que seus sonhos o tornavam vazio, e suas leituras lhe enchiam o coração. E assim foi tocado pela graça. Seus olhos se abriram e isso foi o princípio de sua volta para Deus. Já curado, trocou a vida de militar por uma vida de dedicação a Deus. Foi, então, à capela do santuário de Nossa Senhora de Montserrat, abandonou sua espada no altar e deu as costas ao mundo da corte.

Durante um ano, de 1522 a 1523, viveu retirado numa caverna em Manresa (cidade espanhola), como eremita e mendigo, o tempo todo em penitência, na solidão e passando as mais duras necessidades. Lá, durante esse período, preparou a base do seu livro mais importante, os Exercícios espirituais. E sua vida mudou tanto que do campo de batalhas passou a transitar no campo das ideias, indo estudar Filosofia e Teologia em Paris e Veneza.

Em Paris, em 15 de agosto de 1534, juntaram-se a ele mais seis companheiros, e fundaram a Companhia de Jesus. Entre eles estava Francisco Xavier, que se tornou um dos maiores missionários da Ordem e também santo da Igreja. Mas todos só foram ordenados sacerdotes em 1537, quando concluíram os estudos, ocasião em que Iñigo tomou o nome de Inácio. Três anos depois, o Papa Paulo III aprovou a nova Ordem e Inácio de Loyola foi escolhido para o cargo de Superior-Geral.

Ele preparou e enviou os missionários jesuítas ao mundo todo, para fixarem o cristianismo, especialmente aos nativos das terras do novo continente – a América. Entretanto, desde que esteve no cargo de Superior-Geral da Ordem, Inácio nunca gozou de boa saúde. Muito debilitado, morreu no dia 31 de julho de 1556, em Roma, na Itália.

A sua contribuição para a Igreja e para a humanidade foi a sua visão do catolicismo, que veio de sua incessante busca interior e que resultou em definições e obras cada vez mais atuais e presentes nos nossos dias. Atualmente a Companhia de Jesus é a maior ordem religiosa católica no mundo, presente em obras sociais, educacionais, culturais, vocacionais entre tantas outras.

Santo Inácio de Loyola foi canonizado pelo Papa Gregório XV em 1622. A sua festa é celebrada na data de sua morte (31 de julho) nos quatro cantos do planeta onde os jesuítas atuam.

Para saber mais sobre a vida e obra de Santo Inácio de Loyola, consulte o acervo da nossa Biblioteca. Nosso horário de funcionamento é de terça à sexta-feira, das 9 às 16h30.

Read More →
Compartilhe:

No próximo dia 27 de setembro os jesuítas de todo o mundo comemorarão o 475º aniversário da fundação da Companhia de Jesus, ordem religiosa fundada por Santo Inácio de Loyola.

Com a missão de ajudar o próximo através do serviço da Fé e da promoção da Justiça, a Companhia de Jesus teve, desde o seu início, uma preocupação especial com a educação e a formação das crianças, de forma que é a partir delas que podemos construir um mundo mais justo e mais humano.

Pensando neste público, nós do Pateo do Collegio, por ocasião das comemorações do Bicentenário da Restauração da Companhia de Jesus (2014), idealizamos uma publicação que trouxesse em linguagem leve e acessível para todos os públicos, a história da Companhia de Jesus.

Neste âmbito, e em parceria com as Edições Loyola, convidamos para o lançamento do livro “Jesuítas: uma pequena história ilustrada” que narra a história da Companhia de Jesus desde a conversão de Santo Inácio de Loyola até a eleição do Papa Francisco através das aquarelas de Luiz Boschi Grecco e do texto do P. Gerardo Cabada Castro, SJ.

Segue abaixo o nosso convite.

Contamos com a sua presença!

Livro: "Jesuítas: uma pequena história ilustrada"

Read More →
Compartilhe: