Schola Cantorum

Na apresentação da I edição do Livro de Cantos do Tempo Comum da Capela São José de Anchieta, o Pe. Carlos Alberto Contieri, sj – fundador da Schola Cantorum – escreve:
“O canto não é um acessório artístico da Liturgia; ele é parte integrante da ação litúrgica. O canto sagrado, intimamente unido com o texto, constitui parte necessária ou integrante da liturgia solene’ (SC, V, cap VI, 112). Devemos ter sempre presente esta maxima: não se canta na missa, a missa é cantada. Nesse sentido, a Schola Cantorum não substitui a Assembléia, mas é uma preciosa ajuda para que toda a Comunidade participle integralmente da Celebração cantando univocamente.”

Schola CantorumNa II edição, Pe. Contieri complementa:
“As músicas executadas durante a Missa não são um apêndice, nem tampouco visam cobrir um vazio. A escolha esmerada e criteriosa do repertório, o modo como a Schola Cantorum prepara e executa os cantos durante a celebração, os arranjos musicais feitos porquem tem a música como que uma segunda natureza, a participação da Assembléia nos cantos, são sinais de que o canto litúrgico é parte integrante e indispensável da ação litúrgica; e porque não dizê-lo, o canto é o modo próprio da liturgia, de ‘dizer’o Mistério de Deus.”

A proposta da Schola Cantorum, como seu nome carrega, é de proporcionar o ensino de música para as pessoas da comunidade. Além dos ensaios, os membros tem aulas de teoria musical e percepção e técnica vocal aplicada. A Schola Cantorum do Pateo do Collegio também proporciona a seus membros um apuramento da cultura musical e geral, formando além de bons cantores, bons ouvintes. O coro tem se aprimorado através de ensaios intensivos, workshops, masterclasses e aulas com professors e regentes convidados, tais como João Batista Bíglia, Ary Souza Lima, Ana Elisa Portes, entre outros.

Schola CantorumA Schola é composta por membros da comunidade do Pateo do Collegio que se reúnem duas vezes por semana para ensaiar. O objetivo do coro é servir nas Missas com qualidade técnica e de repertório, sendo assim uma referência no canto sacro e litúrgico na cidade de São Paulo. A Schola Cantorum tem recebido elogiosas críticas de músicos sacros, liturgistas e especialistas em assuntos da Igreja.
Desde 2009, está sob a regência de Felipe Bernardo, Organista Titular e Mestre de Capela do Pateo do Collegio.
“A qualidade é uma exigência essencial da música litúrgica.
A linguagem da música deveria ser tal que uma pessoa ouvisse ou cantasse aquela beleza que um dia virá a cantar no outro mundo.
É o sentido do transcendente.
Se não podemos, com palavras banais, exprimir coisas belas, como poderemos, com música banal, exprimir realidades transcendentes?”
(B. P. L., 29-31, p.2014)


Compartilhe: