TERÇA-FEIRA IX DO TEMPO COMUM – A.D. 2016. VISITAÇÃO DE NOSSA SENHORA

Exemple

Textos: Sf 3, 14-18; Is 12; Lc 1, 39-56.

 

O relato da visitação de Maria à sua prima Isabel conclui os relatos dos anúncios do nascimento de João Batista e de Jesus (Lc 1, 5-25 . 26-38). Assim como a gravidez de Isabel é objeto de revelação por parte do anjo a Maria (cf. 1, 36), do mesmo modo a gravidez de Maria é objeto de revelação a Isabel. A alegria messiânica que faz João pular no ventre de sua mãe é dom do Espírito Santo. É por ele que Isabel pode conhecer que Maria não somente está grávida, mas que a criança que ela está gerando é o Messias prometido por Deus a seu povo. Pulando de alegria diante do seu Senhor, João, desde o ventre de sua mãe, começa a realizar sua missão de precursor do Messias. No cântico de Isabel, é dito que Maria é bendita. De fato, ela o é pela presença, no seu ventre, daquele que Deus nos deu como benção, Jesus Cristo. Maria é a mulher de fé, que confiou e se entregou inteiramente ao projeto de Deus. No cântico atribuído a Maria, o Magnificat, um mosaico de citações vetero-testamentárias, a Mãe do Filho de Deus reconhece com júbilo que o poder de Deus a transformou. Ela reconhece que a bondade, a misericórdia do Santo de Israel é que está na origem da encarnação do Verbo de Deus.

P. Carlos Alberto Contieri, SJ.

 


Compartilhe: