SEGUNDA-FEIRA VII DA PÁSCOA – A.D. 2016

Exemple

Textos: At 19, 1-8; Sl 67(68); Jo 16, 29-33.

 

Os discípulos passam da incredulidade e da incompreensão à fé e à compreensão acerca da origem de Jesus. No entanto, essa compreensão alcançará sua plenitude quando ela se exprimir na firmeza da fé e na lealdade a Deus. A reação de Jesus frente à observação dos discípulos parece um tanto irônica: Credes agora?. A pergunta de Jesus pode ter ao menos dois significados: ela pode denunciar a pretensão dos discípulos de imaginarem ter compreendido o mistério de Jesus Cristo, enviado do Pai, ou, ainda, declarar que eles permanecem mergulhados na ignorância. O que os discípulos precisam compreender é que somente a experiência mediada pelo Espírito Santo é que pode fazer compreender o mistério presente nas palavras e nos gestos de Jesus. É exatamente nisto que consiste a promessa de Jesus para depois da ressurreição (cf. Jo 16,12-15). A falta de fé é uma das causas do medo. É preciso pela fé vencer, inclusive, o medo da morte. Os discípulos terão que passar pela dura prova da paixão e morte de Jesus para poderem chegar à verdadeira fé. Se Jesus que conhece profundamente os seus discípulos prevê que eles o abandonarão, ele também sabe por experiência que o Pai estará sempre com ele. A vitória do Cristo ressuscitado deve sustentar o testemunho e a missão dos discípulos frente às dificuldades e às resistências que deverão enfrentar.

P. Carlos Alberto Contieri, SJ.

 


Compartilhe: