SÁBADO VIII DO TEMPO COMUM

Exemple

Textos: Jd 17.20-25; Sl 62(63); Mc 11, 27-33.

 

Nós estamos na segunda parte do evangelho segundo Marcos dominada pelos relatos da paixão de Jesus. Nas proximidades de sua paixão, o conflito de Jesus com as autoridades religiosas do seu tempo vai se tornando cada vez mais intenso. Na verdade, eles querem encontrar um motivo para condenar Jesus. Tentativa inútil, por isso, terão que mentir, dominados que estão pela inveja. O trecho do evangelho de hoje é uma controvérsia. A questão apresentada pelo grupo é acerca da origem da autoridade de Jesus pela qual ele ensina e age. Lembremo-nos de que, no início do evangelho, as pessoas se admiram do ensinamento de Jesus feito com autoridade. Jesus não responde a questão posta pelos sumos sacerdotes, mestres da lei e anciãos (v. 28) porque qualquer resposta não seria para os seus opositores satisfatória uma vez que já haviam decidido matar Jesus (cf. Mc 3,6). O silêncio deles à pergunta de Jesus revela a maldade de suas intenções. Sem fé não é possível conhecer e admitir a origem divina de Jesus. O Espírito com o qual ele foi ungido é o que o reveste de autoridade. A dureza do coração e a inveja impedem reconhecer a origem divina da autoridade de Jesus, autoridade pela qual ele expulsa os comerciantes do templo.

P. Carlos Alberto Contieri, SJ.

 


Compartilhe: