Exposição Abaré-Tupã

Exemple

Em 2019 relembramos os 300 anos da morte do padre Belchior de Pontes (1644-1719).

O religioso, nascido em terras paulistas, na região do Rio Pirajussara, teve profunda atuação junto aos povos indígenas, que lhe legaram a alcunha de Abaré-Tupã que, em tupi-guarani, significa padre santo.

Considerado por muitos o fundador da cidade de Embu das Artes, também foi responsável pela construção da antiga Igreja de Nossa Senhora do Rosário, atual Museu de Arte Sacra dos Jesuítas, patrimônio histórico e artístico nacional desde 1938.

O Museu de Arte Sacra dos Jesuítas, por sua vez, enquanto detentor e símbolo do legado cultural e artístico deixado pelo padre Pontes, tem a honra de apresentar a sua mais nova exposição temporária: Abaré-Tupã: 300 anos da morte do Padre Belchior de Pontes.

A partir dos paramentos litúrgicos que pertenceram ao religioso, e de objetos relacionados às suas práticas devocionais, a exposição busca apresentar os principais aspectos de sua vida e obra, que nos convidam a explorar os costumes e a sociedade paulista dos séculos XVII-XVIII.

Abaré-Tupã ficará em cartaz do dia 21 de setembro até 22 de março de 2020. Não deixe de prestigiar e de conhecer um pouco mais sobre essa figura tão interessante e relevante para a história de São Paulo.

No dia 21/09/2019 às 10h00 haverá a cerimônia de abertura do evento, com entrada franca.*

*Durante a abertura, a visitação às demais salas do museu estará interrompida.


Compartilhe: